Primeira avaliação de 2021 aponta redução na bandeira laranja

0
359

A Secretaria de Estado da Saúde publicou, na tarde deste sábado (9), a 16ª avaliação do Plano Novo Normal Paraíba, com a análise situacional e evolutiva da Pandemia da Covid-19 no Estado da Paraíba e recomendações necessárias para contenção da recrudescência da pandemia em todo Estado.

A primeira avaliação de 2021 passa a vigorar nos 223 municípios do Estado a partir desta segunda-feira (11) e aponta a ausência de municípios em bandeira vermelha (mobilidade impedida), redução expressiva da participação da bandeira laranja (mobilidade restrita) de 38% para 9% dos municípios paraibanos, crescimento da bandeira amarela (mobilidade reduzida) de 56% para 87% dos municípios paraibanos, e discreto crescimento dos municípios em bandeira verde (mobilidade livre) de 3% para 4% dos municípios paraibanos.

Na 16ª avaliação, 21 municípios paraibanos encontram-se em bandeira laranja, esboçando uma importante redução de 29% em relação à 15ª avaliação. A avaliação apresenta 193 municípios da Paraíba na bandeira amarela, um crescimento de 31% em relação à avaliação anterior. Constatam-se transições de algumas bandeiras para a bandeira amarela, sendo dois municípios da bandeira verde para a bandeira amarela. São também dois os municípios que tiveram transição da bandeira amarela para a bandeira laranja. Nesta avaliação não houve transições da bandeira laranja para a bandeira vermelha. Foram seis os municípios que transitaram da bandeira vermelha para a bandeira laranja. Também foram registradas seis transições da bandeira amarela para a bandeira verde, que teve sua participação acrescida para 4% dos municípios paraibanos. Por sua vez, 54 municípios paraibanos transitaram da bandeira laranja para a bandeira amarela. Apenas um município transitou da bandeira laranja para a bandeira verde.

A literatura científica internacional aponta que os reflexos da adoção de comportamentos de alto risco, como o abandono do uso de máscaras e a ocorrência de atividades com grandes aglomerações, majoritariamente entre a população das faixas etárias de 19 a 59 anos, afetam os indicadores utilizados pelo Plano Novo Normal no prazo de uma semana, o que permite correlacionar a piora ou a melhora do comportamento social, quanto à adoção de medidas protetivas, com a deterioração ou melhora do contexto epidemiológico e das capacidades do sistema de saúde, na forma de maiores ou menores ocupações dos leitos hospitalares para os cuidados à Covid-19 na Paraíba.

O secretário executivo de Gestão de Redes de Saúde, o médico sanitarista Daniel Beltrammi, credita parte do sucesso desta avaliação às medidas adotadas pelo Governo do Estado da Paraíba, ratificadas pelos Ministérios Públicos e Poder Judiciário, entre os dias 24/12/2020 e 01/01/2021, que foram capazes de mitigar parte considerável dos efeitos negativos cumulativos das grandes aglomerações que se dariam em função das festividades de final de ano. Ele afirma que “os efeitos positivos destas medidas já podem ser observados na consistente melhoria das condições da pandemia de Covid-19 na Paraíba traduzidas na 16ª avaliação do Plano Novo Normal”. O secretário também reforça que “os esforços para que se contenham as evoluções da situação pandêmica para pior devem ser mantidos e dependem da decisão de cada uma das pessoas em seguir protegendo suas vidas por meio dos métodos e comportamentos reconhecidamente efetivos para conter a disseminação do novo coronavírus”.

Saber como se proteger do contágio pelo novo coronavírus é fundamental e por isso a Secretaria Estadual de Saúde reforça a recomendação de que as equipes de saúde sigam orientando as famílias para que estas permaneçam em seus domicílios mantendo convívio apenas com seu núcleo familiar básico, ou seja, com as pessoas que coabitam. O secretário afirma que “melhoras da situação da Covid-19 na Paraíba dependerão muito da ainda maior adesão de todas as paraibanas e paraibanos às três medidas que mais protegem a saúde e da vida das pessoas: usar máscaras, lavar as mãos e manter o distanciamento social, decisões e gestos que precisarão estar cada vez mais presentes em nossos cotidianos”, finaliza Beltrammi.

Via: LenilsonBalla

DEIXE UMA RESPOSTA

Comenta ai
Seu nome aqui