Governo do Estado distribui alimentos da agricultura familiar com famílias carentes

0
311

O Governo do Estado, por meio da Secretaria Executiva de Economia Solidária (Sesol), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Humano (Sedh), distribuiu, nessa terça-feira (21), alimentos da agricultura familiar no Litoral Norte do Estado. Foram entregues 895 kg de alimentos como batata doce, cará, macaxeira e mamão que serão distribuídos às famílias mais carentes.

O alimento distribuído faz parte do conjunto de medidas sociais de enfrentamento dos efeitos da covid-19, anunciado pelo governador João Azevêdo. São 400 toneladas de alimentos adquiridas por meio de compra emergencial realizada junto às cooperativas da agricultura familiar e economia solidária, representando um investimento de R$ 3 milhões, que beneficiará famílias carentes nos 223 municípios do Estado.

Nessa terça-feira, foram distribuídos alimentos da agricultura familiar com famílias dos municípios de Curral de Cima, Marcação, Mamanguape, Capim e Baía da Traição. 32 municípios das regiões do Vale do Piancó, Vale do Mamanquape e Litoral Sul serão beneficiados nos próximos dias. Até o momento, já foram atendidos 29 municípios. Os alimentos também estão sendo entregues às pessoas em situação de vulnerabilidade social, por meio dos Centros de Referência da Assistência Social (Cras).

Em Baía da Traição, cada família baixa renda cadastradas recebeu 1 abacaxi, 1 Mamão e 1 cará.

A secretaria executiva de Economia Solidária, Roseana Meira, destaca o compromisso do Governo do Estado que por meio desta ação atinge dois eixos importantes. “Um é garantir a segurança alimentar da população, quando realizamos o chamamento e a negociação junto às cooperativas da agricultura familiar e economia solidária do estado para que numa parceria importante fosse disponibilizado produtos de qualidade para a população. Por outro lado, essa ação tem implicação direta na economia, já que, se esses produtos não fossem comprados pelo Estado, seriam perdidos ou teriam que ser vendidos a qualquer preço através de intermediários”, enfatiza.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Humano, Tibério Limeira, ressaltou que essa ação de aquisição de alimentos da agricultura familiar é uma das medidas sociais mais simbólicas e efetivas do Governo do Estado. “Ela possibilita um atendimento duplo, gerando uma injeção de recursos na microeconomia do Estado e ao mesmo tempo suprindo a necessidade de inúmeras famílias que estão com fome e que necessitam de comida, como também precisam do atendimento do poder público para amenizar a crise que assola essa população em situação de risco”, observou. 

O diretor de comercialização da Cooperativa dos Produtores e da Agricultura Familiar na Paraíba (Coopaf), Josinaldo Francisco, elogiou a iniciativa do Governo do Estado e o processo de aquisição dos alimentos. “Quando ficamos sabendo da compra emergencial a ser realizada pela Sesol, mobilizamos as demais cooperativas da região litorânea e também do sertão. Articulamos 24 cooperativas da Agricultura Familiar, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) e o Movimento Sem Terra (MST) que agregam uma quantidade grande de agricultores. Entregamos para o Estado 10 produtos, entre frutas, raízes e tubérculos que somam cerca de 400 toneladas de alimentos que estamos trazendo para serem distribuídos para os municípios necessitados. Destaco que a agricultura familiar está sendo muito fortalecida com esta ação do governo”, ressaltou.

Maria José Batista Simão, moradora de Curral de Cima, comemorou a chegada dos alimentos: “Chegaram na hora certa. Para mim foi a melhor coisa! Tem gente que agradece, outros não. Eu agradeço demais. Essa doença não é uma brincadeira e a situação está séria pra todo mundo”.

Segundo a União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicaf-PB), a Paraíba é o segundo estado que realiza essa compra emergencial dando suporte à agricultura familiar.

Via: Paraiba.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Comenta ai
Seu nome aqui