Alunos escrevem histórias de participantes da Expotec em João Pessoa

0
149
Anúncio

Equipe de estudantes do programa de Voluntários em Jornalismo falam dos destaques da feira de tecnologia

Além de concentrar ideias, inovação, tecnologia, empreendedorismo, ciência e pesquisa em um só ambiente durante três dias, em João Pessoa, a quinta edição da Expotec, Feira e Congresso de Tecnologia, marca a vida dos participantes. A equipe de estudantes do programa de Voluntários em Jornalismo da Expotec descobriu histórias que se destacaram depois de passarem pelo evento. Ada Carina, Thailine Maria e Ana Lívia conversaram com Vico Constantino e José Eugenio Souza:

Inclusão social e digital através da robótica

Vico Constantino é potiguara, nascido no Rio Grande do Norte; veio com dois meses para a Baía da Traição, Litoral da Paraíba. Sua família não tinha recursos para comprar livros; em sua casa não havia acesso à internet. Parecia que seu futuro repetiria a tradição dos ancestrais.

Depois de terminar o Ensino Médio, aos 20 anos, seu pai faleceu e Vico passou a morar em João Pessoa. Descobriu as bibliotecas públicas e buscou nos livros, revistas e na internet, uma forma de obter conhecimento em uma atividade lhe atraiu: a robótica.

As adversidades enfrentadas serviram de impulsão para realizar seu sonho: fazer com que as pessoas vivam seus próprios sonhos, a propósito de explorar as áreas que abrange a robótica. Vico aprendeu, como autodidata, a montar robôs. A estrutura é feita, essencialmente, pela integração das áreas de mecânica, elétrica, eletrônica, programação e design. Ele abriu a própria empresa, a VCA XP, pela qual presta serviços de telecomunicações, eletricidade, redes e informática em geral.

A primeira vez que Vico participou de uma Expotec foi em 2017. Mas foi em 2019 que ele trouxe o projeto “Engrenagem das Coisas”, pelo qual ensina robótica a todas as pessoas, independente da idade. Ele produz tecnologia com poucos recursos, por meio do reaproveitamento de materiais. Por exemplo: a utilização do material em MDF, peças usadas de computadores e videogames. “A Expotec funciona como como canal de ligação, com o público, promovendo atividades de interação; a entrada é gratuita e proporciona a todos uma experiência com os robôs, como é poder utilizá-los.

Atualmente, o projeto possui apoio da Associação Nacional para Inclusão Digital (Anid), e sustenta-se com recursos financeiros próprios, evidenciando, a necessidade de investidores, devido aos planos de expansão do projeto. Vico pretende, junto à sua equipe, continuar fazendo mais projetos sociais para promover a inclusão digital, e, algum dia, alcançar o Nobel de Física. Com esse mesmo entusiasmo, ele afirma: “Agora o meu objetivo é incluir todos, permitir a todos o acesso a robótica e torná-la com menos custos, ou até sem custos”

Via: Jornal A União

Anúncio

DEIXE UMA RESPOSTA

Comenta ai
Seu nome aqui