Entenda o vazamento de petróleo na Baía da Traição e demais praias do Nordeste

0
1574

Um vazamento de petróleo se espalha pelos nove Estados do Nordeste, com 124 praias atingidas segundo o último balanço do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), Oficialmente, 59 municípios foram afetados em 8 estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.

Mancha de Óleo na Praia de Baía da Traição

O poluente foi identificado em uma faixa de mais de 2 mil quilômetros da costa brasileira. O governo federal afirma que análises já apontaram ser petróleo cru, de origem desconhecida e de tipo não produzido no Brasil. 

Embora a Paraíba tenha sido um dos primeiros Estados a registrar manchas de óleo no litoral, as praias estão em ótimas condições de balneabilidade, e o problema verificado entre o final de agosto e início de setembro não chegou a afetar o setor turístico, ao contrário de outros Estados do Nordeste que vivem situação de cancelamento de reservas nos meios de hospedagem.

O superintendente da Sudema, Aníbal Teixeira, informou que as praias do litoral paraibano as praias paraibanas atingidas pelas manchas estão sendo limpas e estão em ótimas condições de balneabilidade com monitoramento por uma força-tarefa composta pela Capitania dos Portos, Ibama, Sudema e prefeituras de João Pessoa, Cabedelo e Conde.

Que tipo de petróleo é esse que se espalha pelas praias brasileiras?

A análise feita pela Marinha e pela Petrobrás “apontou que a substância é petróleo cru, ou seja, não se origina de nenhum derivado de óleo”.  Conforme o órgão, a substância se trata de hidrocarboneto, conhecido como piche, e é a mesma em todos os pontos analisados.

De onde veio esse petróleo?

A origem ainda é desconhecida e de tipo não produzido no Brasil. Investigações sigilosas realizadas pela Marinha e pela Petrobrás encontraram petróleo com a mesma “assinatura”do óleo da Venezuela em manchas que se espalham pelo mar na Região Nordeste. O presidente Jair Bolsonaro disse não descartar que tenha sido uma ação criminosa, mas ponderou que a apuração sobre o caso ainda está em curso. 

As investigações sobre a origem do petróleo se concentram, na fase atual, em 23 embarcações suspeitas.

A conclusão já foi comunicada ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente. Não é possível dizer que todo o vazamento que atinge as praias do Nordeste tenha a mesma origem, mas análises já realizadas em algumas manchas concluíram, com certeza, que se trata de material de origem venezuelana.

O Brasil usa petróleo venezuelano no Nordeste?

O Estado questionou a Petrobrás sobre a possível presença de óleo da Venezuela nas instalações da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, estrutura que, em princípio, seria construída com a parceria da estatal venezuelana PDVSA. A Petrobrás informou que nunca processou óleo de origem venezuelana em Abreu e Lima, nem mantinha estoque de produtos daquele país em suas instalações.

Quais os riscos para os banhistas?

Estão sendo tomadas previdências para evitar o contato direto dos banhistas com o piche, que pode provocar  irritações e processos alérgicos, especialmente na superfície da mão, nos olhos e na boca.  A fim de preservar a vida e a saúde das pessoas, é importante não tomar banho, pescar ou comer nas praias afetadas.

O que os banhistas devem fazer caso se sujem com as manchas de óleo?

Para alertar a população, o Instituto de Defesa do Meio Ambiente em Natal (Idema), juntamente com o projeto Tamar, elaborou material educativo com os procedimentos que devem ser tomados em caso de contato com o óleo ou tiver conhecimento de um animal contaminado. É preciso evitar o contato com o óleo e, caso aconteça, colocar gelo no local ou retirar com óleo de cozinha. Caso a pessoa tenha reação alérgica, procurar urgentemente atendimento médico.

Segundo o diretor geral do Idema, Leonlene Aguiar, todos os municípios estão orientados para a coleta feita pela limpeza urbana, de forma adequada, com pá, luvas e sem utilização de máquinas. 

Quais os riscos para os peixes?

Não há evidência de contaminação de peixes ou crustáceos, mas a orientação é para que as autoridades locais de vigilância sanitária avaliem o pescado capturado nas áreas afetadas. 

E para os outros animais?O número de animais afetados também é computado pelo Ibama, O espalhamento de óleo ameaça tartarugas, aves e o peixe-boi marinho, o mamífero dos oceanos com maior risco de extinção no Brasil. Segundo especialistas, o petróleo cru pode afetar a digestão dos animais e o desenvolvimento de algas, essenciais para a cadeia alimentar dessas espécies.

Pelo menos 3 tartarugas e 1 boto foram encontrados mortos nas praias de Baía da Traição no ultimo mês. Não se sabe ao certo a causa da morte mas acredita se que seja a ingestão do óleo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comenta ai
Seu nome aqui