Mais de 500 venezuelanos que saíram do Brasil têm plano de voltar a cruzar a fronteira, diz jornal local

0
78

Via g1

No sábado, acampamentos de imigrantes em Roraima foram atacados por brasileiros em retaliação por assalto que teria sido cometido por venezuelanos.

Anúncio

Citando fontes oficiais, reportagem do jornal “El Universal”, da Venezuela, aponta que dos cidadãos daquele país que deixaram o Brasil no fim de semana, após o ataque feito por moradores de Pacaraima contra alojamentos de venezuelanos, há mais de 500 que planejam voltar ao território brasileiro.

O diário informa que as autoridades venezuelanas montaram um alojamento provisório num forte em Santa Elena de Uairén, a cidade mais próxima à fronteira com o Brasil, e providenciaram 14 ônibus e dois micro-ônibus para ir levando os regressos às suas regiões de origem pelo país vizinho. Citando fontes oficiais, “El Universal” afirma que foram 1.197 atendidos em Santa Elena, dos quais “502 mantêm sua posição de querer entrar no Brasil novamente”. Mais de 700 já foram transportados para outras cidades.

Local onde antes havia acampamento de venezuelanos às margens da BR-174 agora tem só restos de objetos queimados (Foto: Jackson Félix/G1 RR)Local onde antes havia acampamento de venezuelanos às margens da BR-174 agora tem só restos de objetos queimados (Foto: Jackson Félix/G1 RR)

Local onde antes havia acampamento de venezuelanos às margens da BR-174 agora tem só restos de objetos queimados (Foto: Jackson Félix/G1 RR)

As autoridades venezuelanas adotaram tom de ajudar os “irmãos” que regressaram do Brasil após o incidente do sábado. Justo Noguera, governador do estado de Bolívar, que fica na área fronteiriça, divulgou fotos no Twitter mostrando como foi pessoalmente a Santa elena para apoiar seu compatriotas.

Em nome de seu governo e do presidente Nicolás Maduro, bem como do Exército Bolivariano, deu “boas vindas” aos “irmãos venezuelanos” retornados.

Ataques após assalto e agressão a brasileiro

O tumulto na região da fronteira Brasil-Venezuela aconteceu no sábado (18) após a família do comerciante Raimundo Nonato de Oliveira, de 55 anos, relatar à Polícia Militar de Pacaraima que ele foi assaltado e agredido por venezuelanos na noite de sexta (17). Nenhum suspeito do crime foi preso.

Em retaliação ao ocorrido, moradores de Pacaraima se organizaram por redes sociais e atacaram acampamentos de venezuelanos. Os locais foram destruídos, queimados e os imigrantes foram mandados embora da cidade.

Com os ataques, muitos imigrantes deixaram Pacaraima. A maioria cruzou a fronteira e voltou para a Venezuela, mas também há relatos de alguns fugiram para áreas de mata e montanhas nos arredores do município.

No tumulto, a BR-174, que liga Boa Vista a cidade, ficou bloqueada com pneus e fogo por cinco horas. Estima-se que mil pessoas participaram dos atos. Três brasileiros ficaram levemente feridos, mas não houve prisões, segundo a PM.

Um morador da cidade disse que alguns imigrantes revidaram aos ataques. Carros com placas brasileiras foram atingidos por paus e pedras no lado venezuelano da fronteira.

Mapa mostra localização de Pacaraima, cidade de fronteira com a Venezuela (Foto: Roberta Jaworski/G1)Mapa mostra localização de Pacaraima, cidade de fronteira com a Venezuela (Foto: Roberta Jaworski/G1)

Mapa mostra localização de Pacaraima, cidade de fronteira com a Venezuela (Foto: Roberta Jaworski/G1)
Anúncio

DEIXE UMA RESPOSTA

Comenta ai
Seu nome aqui